O 1° Aninho do Mateus – Tema “Fazendinha”

Não adianta, criança adora animal, por isso o tema fazendinha nunca sai de moda e é sempre um tema divertido tanto para manina quanto para menino. A mamãe Cris apostou nisso e soltou a bicharada no primeiro aniversário do filhote Mateus. Entre todos os detalhes lindos, destaque para as lembrancinhas, leiteirinhas e marmitinhas super fofas, confiram e se inspirem =)

Fotos: Priscila Tenório / Local: Planeta A / Decoração: Perylampo / Lembranças e personalizados: Mi limonada design / Bolo e doces: Bololinho e Mariana parini

Obrigada Cris pela sua participação, parabéns pela festinha e pelo pequeno Mateus, muita saúde e amor pra vocês!

Beijos, Mila Moura

, , , , , , , ,

O Batizado da Maria Rita

Fazia tempo que não tínhamos um batizado por aqui e para retomar em grande estilo, hoje eu trouxe o batizado da pequena Maria Rita. Após a cerimônia os papais da Maria receberam os convidados num pequeno restaurante para uma bela recepção. A decoração ficou por conta da nossa super parceira Donna da Casa e os detalhes tão carinhosamente planejados vocês conferem agora =)

Fotos: João Paulo / Cerimônia: Igreja da Jaqueira / Recepção: Restaurante Amadeu / Decoração: Donna da Casa / Bolo e Doces: Lucinha Cascão / Lembrancinhas: Little Gifts / Mini bolos e pirulitos: Marta Bololinho / Livros de oração e cardápio: Wilka Viana

Parabéns aos papais da Maria pelo batismo e obrigada Dalcimery por dividir este momento tão especial da sua família com o blog! Espero vê-los muito aqui no Meu Dia D Mãe, voltem sempre =)

Beijos, Mila Moura

, , , , , , , , ,

Baunilha Books – Álbum de fotografias, por que fazer?

Eu AMO fotografias, depois que fiz o primeiro ensaio de família com Lara fiquei viciada. Essa será sempre uma linda forma de eternizar momentos, mas em contra partida as minhas fotos nunca saiam do computador. Raras eram as exceções que ganharam vida e foram reveladas para compor a decoração da nossa casa. Acho que esse é um grande mal moderno, entre tantas lindas fotos que tiramos dos nossos pequenos, nos contentamos apenas em compartilharmos nas redes sociais e esquecemos que os nossos filhos um dia irão nos cobrar os registros de seus momentos mais incríveis. Ah, sem esqueceremos que sempre existe a possibilidade de ‘perder’ as fotos por um problema no computador ou celular, não é? E foi assim que eu perdi muitos dos registros dos primeiros anos de Lara. Infelizmente, esse caso não acontece só comigo não e se não aconteceu com você, se previna, pois estamos todos suscetíveis à lei de Murphy da tecnologia.

Onde eu quero chegar com esse post? Além de alertar as nossas leitoras da importância de criar registros memoráveis da infância dos nossos filhos, quero compartilhar com vocês (de todo o Brasil) a minha mais nova descoberta cheia de amor!

A festinha de 5 anos de Lara, com o tema Mágico de Oz (clica aqui para ver), além de linda e super personalizada ganhou um álbum MUITO especial e cheio de carinho. A Baunilha Books – Álbuns e fotolivro, uma loja online que atende todo o Brasil, nos presenteou com um fotolivro pra lá de especial. Prepare para se apaixonar!


Crédito das fotos: divulgação Baunilha Books

Não sei se vocês lembram, mas eu tive o maior problema com as fotografias oficiais da festa da Lara. Infelizmente, não estava me sentindo à vontade para eternizar essas fotografias, mas eu dei uma chance para a festinha dos nossos sonhos e me surpreendi com o resultado!

Fiquei realmente emocionada com o resultado de tanto carinho em um registro só! Para quem não conhece ainda, a Baunilha faz um trabalho encantador para todo o Brasil (com frete grátis para Recife!) e você pode fazer o seu álbum sem sair de casa. Ó coisa boa, não é? E a empresa trabalha da seguinte forma: Você acessa o site da Baunilha, escolhe o tipo de álbum que deseja (pode ser fotolivro clássico, fotolivro panorâmico ou book panorâmico), envia suas fotos digitalizadas, aprova a diagramação e recebe em casa o seu álbum!

O álbum da Lara, faz parte da Linha Nobre e é perfeito para aqueles momentos únicos que exigem sofisticação e capricho. Pois o seu trabalho é personalizado e feito de acordo com o tema da festa ou desejo do cliente, por isso recebe capas em tecido, couro, madeira e outros revestimentos, além de acabamentos especiais e gravações em baixo relevo, aço, acrílico, entre outros. O meu próximo passo do projeto #CrieMemórias (hehhe) é fazer um álbum com as melhores fotos dos primeiros anos da Lara (separados por idade, para que Lara tenha esses registros para sempre!), porque eles merecem! <3

Se você quiser conhecer um pouco mais sobre o trabalho da Baunilha Books, acesse: Site, Fan Page Baunilha e Instagram (@baunilhabooks)!

Valeu Baunilha pelo carinho e pelo lindo trabalho. Agora já sou fã de carteirinha e sem dúvidas, serei uma cliente pra lá de fiel! E vocês, gostaram do resultado? A cara de Larinha nas fotos diz tudo, né? Ela amou e eu também!

Beijos,
Nanda
Ananda@meudiadmae.com.br
Fan Page: Meu Dia D Mãe
Instagram: @meudiadmae

, , , , , , , , , , , ,

Palavra de mãe: o coração de uma mãe de uti

Sabe o que eu andava sentindo muita falta aqui no Meu Dia D Mãe? Da participação de vocês, de ler as histórias e conhecer um pouco mais sobre cada detalhe da vida de vocês! E hoje, quem conta um pouco da sua história EMOCIONANTE pra gente é a Anna, mãe de duas Marias!

Maria Beatriz lutou pela vida, lutou para crescer, para hoje estar em casa e… vou deixar a Anna contar, porque vocês vão se emocionar!

O coração de mãe de UTI

Me chamo Anna, personal trainer, empresária, apaixonada por escrever e vivendo meu principal papel: mãe se duas princesas apressadas. Maria Beatriz, de 7 anos, nascida de 35 semanas e meia, devido a uma pré eclampsia que nos pegou de surpresa, amadurecendo precocemente a placenta e levando ao sofrimento fetal, sendo necessária uma cesárea marcada para dali a dois dias. Chegou com 2395g, sem intercorrências, ficando na incubadora apenas 8 horas. Mamou exclusivo até os seis meses, cresceu saudável apesar de vários problemas alérgicos e respiratórios. É o meu amor primeiro.

Maria Gabriela, meu milagre, chega sete anos depois Começou a lutar pela vida ainda na barriga. Um descolamento de placenta, sangramentos e contrações prematuras nos deixaram em repouso a partir das 16 semanas. Além da pré eclampsia grave, diagnosticada precocemente, mas que nem assim conseguiu ser controlada. Levando ao crescimento intra uterino retardado da nossa pequenina e ao nascimento prematuro, chegando ao máximo às 30 semanas de gestação. Nascendo com 38cm e 1345g. Um parto de emergência e bastante complicado, não sendo permitida nem a presença do pai. Não tivemos nem direito àquela foto tradicional. Só a vi de longe enquanto seguíamos cada uma para uma uti. A conheci dois dias depois do seu nascimento, tão pequenina, tão frágil e ao mesmo tempo tão forte. Daí em diante seriam 47 dias de aprendizado intensivo naquele hospital.

Naquele mundo assustador e desconhecido da uti neonatal, em meio à incubadoras, tubos, fios, agulhas, bips e pessoas apressadas, aprendi bem mais sobre doação e amor incondicional quando uma criança de apenas sete anos abre mão da presença de seus pais em favor da irmã que ela sequer conhecia. Mudei meu conceito sobre vida, valores, superação, esperança e principalmente fé. Aprendi que nem todo o amor do mundo cabia naquelas 1008g, que nem todo o cuidado do mundo era suficiente para cuidar de apenas 38cm. Que 1ml fazia uma diferença enorme, que o ganho de 10g era motivo de festa, assim como a perda de 5g era quase um desespero. E assim foi nossa peregrinação, dois passos pra frente e um para trás. A uti é um divisor de águas, por um lado sombria e por outro aconchegante, nos põe medo e ao mesmo tempo nos trás esperança. Assim aprendi a dar valor a vida. Vida essa que a natureza não esperou e fez nascer o meu milagre prematuramente, pulsando em um coraçãozinho miúdo e forte!

Foi assim, vendo a resposta de Deus às nossas orações em pequenos detalhes que chegamos aos tão esperados 2015g que nos levariam a nossa casa. Onde continuaria nossa luta, no início perdendo peso e precisando de uma suplementação láctea, a amamentação por si só não supriu as necessidades da pequena. Porém, isso não me fez desanimar, foi mais uma prova de que não sou auto suficiente.

Não sou melhor, nem amo mais que outra mãe. Amamos nossos filhos com a mesma intensidade, com o mesmo amor incondicional. A única diferença é que esse amor de mãe de uti é maltratado, despedaçado, dilacerado… É um amor doído. Testado até o mais distante limite, e assim nos fazendo perceber que não existe resguardo, dor física ou qualquer outro fator que atrapalhe nosso ritual diário de ficar em pé horas e horas diariamente em frente à incubadora, olhando números e ouvindo infinitos bips incansavelmente. Só uma mãe de uti sabe o que é a dor de sair do hospital com os braços e a barriga vazios…
Anna

Tem como não se emocionar com essa história? Eu li, reli, li e reli e chorei… Não apenas porque estou grávida e ficamos mais sensíveis, mas porque a maternidade nos permite sentir a dor do próximo. Como disse pra Anna, não tenho ideia do que realmente ela sentiu e sente até hoje, deve ter sido uma dor e um medo enorme, mas como é bom viver essa história de superação, inspirar e ajudar outras mães que estão passando por situações parecidas.
Anna, obrigada. Obrigada pelo carinho com o blog, por conseguir encontrar aqui no Meu Dia D Mãe um local de conforto e apoio. Que Deus continue abençoando a sua filha e a sua família!

Quer se emocionar? Conheça outras lindas histórias postadas aqui no Meu Dia D Mãe! E se quiser ver a sua história sendo contada aqui, basta enviar um e-mail para ananda@meudiadmae.com.br :) Será um grande prazer compartilhar suas lutas, vitórias e inspirar outras mamães por aqui.

Ah, não esqueça de deixar o seu recadinho para Anna. Ela vai amar! <3
Beijos,
Nanda
ananda@meudiadmae.com
Fan Page Meu Dia D Mãe
Instagram: @meudiadmae

, , , , , , , , , ,